Dicas de Ballet - Como montar coreografias

A coreografia é o ato de projetar a dança.
O processo coreográfico tem como objetivo desenvolver ideias inovadoras de combinação de passos e movimentos, adequados ao ritmo da música escolhida e ao tema sugerido. Também é necessário pensar na melhor ocupação do espaço; a energia que o contexto pede e o tempo.

Numa coreografia esses elementos básicos dialogam entre si podendo construir outros sentidos causadores de diferentes sensações no espectador, pois de acordo com a composição realizada poderá obter diferentes resultados.
A origem se dá quando surge a necessidade de apresentar uma idéia ou sentimento a um público, através de movimentos corporais expressivos, passando de ritualísticos para cênicos ou espetaculares.
A coreografia pode ser criada como uma temática isolada, para ser apresentada de forma independente, e também pode ser produzida como parte integrante de um show musical, uma ópera, uma peça de teatro, um programa de televisão, e assim por diante.
O coreógrafo é aquele que projeta danças.

Técnicas

São 2 os métodos coreográficos fundamentais:
1) Improvisação
em que um coreógrafo oferece dançarinos com uma pontuação que serve como orientação para o movimento e forma improvisada. Existem marcações e a partir delas o bailarino sabe quais são os momentos de improvisar.

2) Coreografia planejada
em que um coreógrafo dita o movimento e forma em detalhes, deixando pouca ou nenhuma oportunidade para o dançarino de exercer interpretação pessoal.

Várias técnicas são comumente usadas ​​em coreografias:

Espelhando - frente para o outro e fazer o mesmo
Invertida - realizando uma seqüência de movimentos na ordem inversa
Canon - pessoas que realizam o mesmo movimento, um após o outro
Níveis - dividir pessoas de níveis superiores e inferiores em uma dança
Sombreamento - estando uma atrás da outra e executar os mesmos movimentos
Uníssono - duas ou mais pessoas, fazendo uma série de movimentos, ao mesmo tempo
Movimentos pode ser caracterizados por uma dinâmica, tais como rápido, lento, duro, macio, longo e curto.

Uma boa coreografia não une apenas uma porção de passos, mas sim estuda os movimentos adequados ao tema e aos intérpretes.