Para que serve a sua flexibilidade?

Bailarinos vivem buscando mais flexibilidade. Vemos muitas escolas em que o foco das aulas inclusive são os alongamentos em longas aulas de abertura. Legal, fiquei mais flexível, coloco o umbigo no chão, zerei o grand ecart, puxo a perna na cabeça, mas e agora? Vou usar isso para que?



Já pararam para pensar?

Quanta gente mole e flexível vemos por aí sem técnica. Isso mesmo. No Ballet precisamos da flexibilidade para nos ajudar a fazermos os passos do ballet. Você não vai ver nenhuma bailarina abrir grand ecart no meio de uma variação. Porque eu digo isso? Para entenderem que essa abertura toda só serve se for para ser refletida na execução de um passo, como por exemplo em um grand jeté.

Então, na verdade a flexibilidade é o caminho. Ela não é onde queremos chegar. Logo, se a sua meta é zerar a abertura, saiba que essa meta precisa ser apenas a inicial, ou seja, precisa definir que quer zerar a abertura PARA alguma coisa e complementar com um objetivo dentro da técnica do ballet.

Não basta ter abertura, tem que ter abertura e usá-la para algo. Seja para ter um lindo arabesque, fazer um bom adágio, para as linhas dos seus saltos e developpés. "Vou usar essa borboleta que encosta no chão quando for fazer meu plié" caso contrário, se for para encostar no chão por encostar não faz muita diferença.

Tem muita gente que nasce flexível. Isso não faz dessas pessoas bailarinas.
A busca precisa ter pela técnica, a flexibilidade é mais um passo do caminho.