A técnica no Ballet Clássico

Ouvimos muito falar em técnica no Ballet Clássico. Mas afinal, quando falamos em técnica estamos falando do que exatamente?



Estamos falando da união de algumas características próprias e fundamentos do ballet, como por exemplos: a prática do en dehors; a execução de passos e posições específicas; a postura, colocação e o alinhamento corporal e a verticalidade do corpo por sempre pensarmos no "para cima", ou seja, deixamos de dançar naturalmente e buscamos o aperfeiçoamento técnico baseado nessas regrinhas, tentando colocar esses princípios em nossa dança.

Ao estudarmos a técnica do ballet, aprendemos a linguagem desta forma de dança. Conhecermos o vocabulário e os conceitos irá nos ajudar a entender a essência do ballet clássico para tentarmos aplicar essa essência ao dançarmos. Este refinamento técnico requer exatidão e clareza dos movimentos, bem como a coordenação para trabalharmos cada parte do corpo separadamente.

Quanto melhor a execução técnica, quanto mais cuidadosamente os movimentos forem apresentados; quanto mais mantivermos esses conceitos durante a movimentação, melhor será nossa técnica. São muito detalhes que fizeram surgir a expressão que "O ballet é a mãe de outras danças", pois muitas outras modalidades incorporam a técnica do ballet em seus treinamentos.

Um bom bailarino consegue unir essa base técnica à sua emoção na hora de dançar! Claro que você pode encantar tecnicamente, mas dança é arte e arte tem que ter alma. Li esta frase e achei pertinente:  "Quanto mais seguro você estiver com a sua técnica, mais se sentirá livre para se entregar às emoções".

Para desenvolvermos esta técnica, que será o caminho para atingirmos um bom resultado em qualidade, precisamos praticar, com disciplina, dedicação e orientação de um professor. A limpidez das nossas ações nos deixará esteticamente bonitos.