Bailarinas Famosas - Marie Taglioni


Taglioni como era chamada, nasceu na Suécia mais precisamente em Estocolmo (capital e a maior cidade da Suécia) em 23 de abril de 1804. Filha de Filippo Taglioni (bailarino e coreógrafo intaliano que depois de tempos iniciou a fase romantica da dança) e Sophie Karsten (também bailarina suéca).         


Seu pai bailarino e coreógrafo começou a treina-la desde pequena e conforme o tempo se passava tinha um programa de aulas que aplicava a Taglioni extremamente pesado fazendo com que muitas vez Taglioni desmaiasse de tantos treinos. Claramente que esses treinos resultaram na grande bailarina "Marie Taglioni" que tinhaespecialme se destacava a partir do primeiro ballet montado especialnte para ela "La Sylphide" valorizando suas qualidades. O mais marcante e que fez Taglioni se destacar mais foi o fato de dançar este ballet inteiro nas pontas mantendo suas poses, técnicas e habilidades intactas, coisa que na época bailarinas não faziam.

Era muito refinada na técnica, e marcante pelo sei estilo diferente com grandes saltos que demonstravam para os espectadores leveza, como se a bailarina flutuasse.

Sua estréia foi em 1822 em Viena com o ballet "La Réception d’une jeune nymphe à la cour de Terpsichore" logo dançou em vários lugares como em Londres e Paris.Em 1837 foi para a Russia já muito conhecida aonde trabalhou em São Petersburgo no "Ballet Imperial". O sucesso de Taglioni na Russia era tão grande que esta era comparada com as melhores bailarinas russas ja vistas e ainda no dia de sua estréia o teatro estava completamente cheio para assisti-la.

Nesta época o Ballet Romântico estava em alta assim o ballet "La Sylphide" criado pelo próprio pai de Taglioni especialmente para ela, teve uma ótima reputação entre os russos que vinha acompanhada pela linda bailarina Taglioni que expressava exatamente o romantismo do ballet com sua delicadeza e expressão nos palcos.


Estava pronta para apresentar-se em Moscow como convidada mas acabou não dançando devido as exigência descompridas que a bailarina tinha feito, indo embora da Russia em 1842. Taglioni foi embora sem se apresentar na capital e em 1847 se aposentou.

Lucian Petipa e Loius Mérante da I Competição Anual para Corps de Ballet (corpo de baile), assim como criou a coreografia do ballet "La Pappilon"(seu único trabalho como coreógrafa), mas a bailarina que foi convidada a dançar este ballet nunca chegou a se apresentar pelo motivo de sua morte trágica aonde sua saia pegou fogo em uma lâmpada de gás utilizada em iluminação cênica em 1863.

Durante a guerra franco-prussiana perdeu sua fortuna e foi obrigada a dar aula de dança para damas da sociedade e crianças. Logo em 1884 falesceu em Marcelha (cidade mais antiga da França), mas não deixando de ser uma das bailarinas mais conhecidas da europa.

Curiosidades: Participou do "culto da bailarina" aonde um par de suas sapatinhas de pontas foram vendidas para duzentos rubros, Supostamente para ser cozido, servido com um molho e comidos por um grupo de balletomanes.

Se casou, mas com 3 anos de casada se separou de seu marido ficando com 2 filhos para criar (1 menino e 1 menina).