George Balanchine - um dos maiores, se não o maior, coreógrafo do Século XX

George Balanchine, considerado o principal coreógrafo contemporâneo no mundo do balé, chegou aos Estados Unidos no final de 1933, após uma carreira inicial na Europa. O filho de um compositor, estudou teoria musical, incluindo composição, harmonia e contraponto e piano o que fez com que se tornasse o coreógrafo de maior conhecimento musical de seu tempo.

Começou seus estudos de dança aos nove anos,  na Escola Imperial onde veio a se formar sete anos depois. Estreou como coreógrafo em 1923, com um pequeno grupo de bailarinos. Desertou da União Soviética, quando foi então convidado por Diaghilev para ingressar em sua Companhia, os Ballets Russes em Paris.

Depois da morte de Diaghilev, Balanchine aceitou um convite de Lincoln Kerstein para ir para os EUA e lá em conjunto com Kerstein e Jerome Robbins criaram a School of American Ballet, escola que visava treinar bailarinos no rigoroso método russo que Balanchine tão bem dominava.

A escola foi um sucesso, estabeleceu um novo e alto padrão na dança clássica nos EUA, evoluiu para uma companhia, New York City Ballet, passando então, a trabalhar como mestre de balé e principal coreógrafo. A Escola continua em operação até hoje, treinando estudantes para o New York City Ballet e empresas em todo os Estados Unidos e no mundo.

Teve uma profícua carreira de 35 anos como coreógrafo nos EUA, foi o pai do ballet americano onde todos se inspiraram. É reconhecido como o coreógrafo que revolucionou o pensamento e a visão sobre a dança no mundo, sendo responsável pela fusão dos conceitos modernos com as idéias tradicionais do balé clássico, o verdadeiro criador do bailado contemporâneo e um dos maiores influenciadores dos mestres da dança.


Um catálogo autêntico de suas obras lista 465 obras criadas por Balanchine em sua vida. Além de ballet, trabalhou com musicais e filmes. O estilo de Balanchine foi descrito como neoclássico, uma reação ao anti-classicismo romântico (que se transformou em teatralidade exagerada) que era o estilo predominante no balé russo e europeu quando ele começou a dançar. Em seus trabalhos geralmente enfatizou a trama, preferindo deixar a "dança ser a estrela do show".

George Balanchine morreu aos 79 anos. Deixou um legado ao ballet e à dança mundial.
Inspirador

“A música deve ser vista, e a dança deve ser ouvida.”

fontes:
NYCB
Jornal GGN