História da Dança Clássica na Rússia

Pesquisa por Fellipe Camarotto

No nosso Curso de Férias o Fellipe Camarotto de uma aula sobre técnica russa e metodologia Vaganova e ficamos de trazer alguns pontos do que ele falou por aqui, para que quem estava no curso pudesse acessar, então começamos com esta parte de introdução da história da dança clássica da Rússia.

Russiapedia - RT.com Anna Ioannovna
Russiapedia - RT.com Anna Ioannovna
Em 1738, algumas crianças russas, todos filhos de criados do palácio, entraram em uma sala no Palácio de Inverno de São Petersburgo e sem saber o que os esperava, eles encontraram Jean-Baptise Landé, um elegante maître de dança, francês, que a imperatriz Anna Ioannovna trouxe para ministrar aulas, após obter permissão para abrir a primeira escola de balé profissional da Rússia.

Em 1773, Filippo Beccari, um mestre de dança italiano, se encantou com um grupo de órfãos de uma instituição que esperava oferecer as crianças de Moscou um futuro diferente e mais brilhante. Esses filhos de servos de São Petersburgo e os órfãos de Moscou foram os primeiros elos de uma longa cadeia de estudantes de balé que estabeleceriam a tradição russa da educação de balé como uma das mais antigas e respeitadas do mundo.

O balé se desenvolveu inicialmente em diferentes trajetórias em São Petersburgo e Moscou, até pelo contexto histórico. O balé de São Petersburgo era distintamente imperial, refletindo os gostos aristocráticos da corte, valorizando a harmonia geométrica e um classicismo contido. Removida das restrições da corte, Moscou estava livre para desenvolver sua própria tradição orgulhosa e independente, que valorizava a individualidade mais do que uma estrita adesão às regras da dança acadêmica clássica.

Em 1806, o balé de Moscou e sua escola foram incorporados ao sistema dos teatros imperiais. O Balé Imperial estava ligado ao estado, consequentemente, ao Czar, sendo todos os bailarinos, em certo sentido, servos imperiais.
Enquanto a Itália e a França foram fundamentais no início do balé, outros países e culturas logo adotaram essa forma de arte, principalmente na Rússia. 
Depois de 1850, o balé começou a migrar de Paris, mas floresceu na Dinamarca, graças ao maître August Bournonville. A França forneceu muitos maîtres como Charles Didelot (1801-1831), Jules Perrot (1848-1859) e Arthur Saint-Léon (1859-1869). 
Em 1847, Marius Petipa chegou a São Petersburgo e em 1885, Enrico Cecchetti, junto com a bailarina italiana Virginia Zucchi que se apresentou em São Petersburgo, teve sua influência na Escola Russa.

Buscar