O brilho nos olhos

Algumas pessoas gostam de ballet, outras amam, outras nascem... Tecnicamente, se você tem uma rotina de treinos;  faz todas as aulas corretamente; atenta-se às correções e é disciplinada, é bem dificilmente diferenciar uma bailarina da outra. De qual grupo cada uma é? Gosta, ama ou nasceu. O que faz a gente perceber isso é brilho dos olhos. Bailarina tem alma de bailarina! Isso ninguém imita, não há treinos.  Vem com você.


Tenho uma aluna, o nome dela é Márcia, tem 9 anos. Dá gosto dar aula para ela. Esse brilho dos olhos o qual eu estou falando são dos olhos dela... Não sei se virá a ser uma bailarina quando crescer, mas ela mostra em cada gesto o quanto ama as aulas. A cada passo que aprende me olha como se agradecesse, como se ganhasse o dia!

E se for um passo saltitante então!!!! Ela sorri com os olhos de uma forma que faz a gente voltar para dar aulas de novo. Uma vontade explícita de fazer e conseguir.

E tem conseguido, crescido com isso, acompanhado meninas maiores. É  muito gratificante ver o amor pelo que ela está fazendo no olhinho dela...



Eu tinha uma amiga quando eu estudava que era assim... Bailarina de alma e de sorriso. Não era das mais perfeitas, mas com certeza era a mais apaixonada. Isso fez toda a diferença para ela, como espero que faça para a Marcinha e eu possa encontrar isso em outras pessoas pela frente, porque esse brilho ilumina os caminhos de quem está por perto e dá energia para continuarmos a bailarinar e ensinar ballet por aí.

Comentários