Ballet de Repertório - Cinderella


O clássico conto de fadas de Charles Perrault tem sido coreografado desde 1815. A sua primeira versão foi feita em São Petersburgo com criação de Francisco Decombe, em 1822, e representada na Opera de Paris em 1923.


A versão de Charles como Diderot foi apresentada em Paris, pela primeira vez, em 9 de junho de 1924.

Em Viena, a primeira apresentação foi em 4 de outubro de 1908 no Hofoperntheater. Foi o único ballet composto pelo mais jovem dos Johann Strauss. A coreografia foi de Hassreiter, e o cenário de Heinrich Lefler. A dançarina principal foi Marie Kohler e seu par foi Karl Godlewski.

Frederick Ashton, com sua versão no Saddler's Wells Ballet, no Royal Opera House de Covent Garden, Inglaterra, em 23 de dezembro de 1948, ficou sendo a primeira versão de um ballet a ser composto nos modelos do Século XIX.

Em cada apresentação do ballet, sempre houve variações e detalhes especiais criados por cada artista. Na versão vienense, Cinderela era a jovem aprendiz chamada Greta e o príncipe era Gustav, o gerente de uma loja de departamentos. A produção era comum, mas os figurinos demonstraram virtuosidade técnica. Em contrate, a versão de Paulo Meijor, foi colorida por uma infusão de criaturas da natureza, como joaninhas e cogumelos, que eram dançados por crianças do ballet da cidade de Chicago, no Teatro Auditorium, em 25 de novembro de 1981.

A história de Cinderela através dos anos foi se transformando e adquirindo de mais encantos pessoais e sociais.

Uma jovem prendada, maltratada pela família, é presenteada com a oportunidade dada por sua fada madrinha para ir ao baile do príncipe, desde que de lá saísse à meia noite. Durante o baile o príncipe se apaixona por ela, mas ela desaparece antes de revelar seu nome ao príncipe. Ele então, viaja pelo mundo afora à procura do amor misterioso, carregando um de seus sapatinhos de cristal que ela havia perdido durante a fuga. Eventualmente os dois são unidos e a família é perdoada.

No Teatro Real da Dinamarca, o ballet estreou no dia 25 de setembro de 1910. Emilie Walbom coreografou o trabalho de Otto Mailin. Não houve cenário nem figurino. Os principais papéis foram de Ellen Price e Hans Beck, e a música foi do famoso compositor dinamarquês Carl Nielsen.

Andre Howard coreografou e desenhou a versão do ballet para a música de Carl Maria von Weber, para o Ballet Rambert, apresentado no Teatro Mercury, em Londres, no dia 6 de janeiro de 1935. Pearl Argyle foi Cinderela e Frederick Ashton, o príncipe. O Ballet Rambert apresentou a pantomima "O sapatinho de Cristal", em 3 atos, e duas versões de cenas de "Cinderela", escrito por Herbert e Eleanor Farjeon. A coreografia foi de Howard e a música de Clifton Parker, com figurinos de Hugh Stevenson. Essa versão foi representada no Teatro Saint James de Londres durante o Natal de 1944.

No Teatro Bolshoi, em Moscou, como Zolushka, Cinderela estreou no dia 21 de novembro de 1945. O coreógrafo foi Rostilav Zakharov e a música de Sergei Prokofiev. A heroína foi Olga Lepeshinskaya e o príncipe Mikhail Gabovich. O cenário foi de Peter Williams. Prokofiev começou a trabalhar na música durante o inverno de 1940 para o ballet Kirov, de Leningrado. Seus planos, porém, foram interrompidos pelo início da Segunda Guerra Mundial e ele só terminou o trabalho na primavera de 1944. A sua versão segue a tradição clássica contendo "pas de deux", adágios, a gavotte, a mazurka e valsas. Cada personagem principal dança individualmente. O compositor usou compassos simples e vivos para demonstrar a vida interior de Cinderela. A produção foi boa. A estréia do ballet Kirov ocorreu no dia 8 de abril de 1946, e seguiu mais de perto a linha original. Foi a estréia do coreógrafo Konstantin Sergeyev, que representou o príncipe, junto à Cinderela de Natalia Dudinskaya. A música do ballet ganhou o prêmio Prokofiev, prêmio do Estado da USSR.


Dentre as mais memoráveis versões está a de Ashton, onde dançaram Moira Shearer, depois Margot Fonteyn e Michael Somes. Essa produção foi vista em Nova York, quando o Saddler's Wells Ballet visitou os Estados Unidos pela primeira vez, e influenciou a versão americana.

A primeira versão da Cinderela americana foi a de Ben Stevenson, pelo National Ballet de Washington, DC, no dia 24 de abril de 1970. A coreografia de Stevenson tinha cenários de Edward Hayned, figurinos de Norman McDowell, e como dançarinos Gaye Fulton e Desmond Kelly. As cunhadas foram representadas pelos travestis Frederic Franklin, o que foi brilhante. A madrasta foi omitida. Stevenson utilizou mais dois argumentos rápidos, e inesperadas marcações de cena.

Cinderela foi coreografada nas cidades russas e teve versões em toda a Europa e Japão. Todos se preocuparam em manter a jovialidade ao tema, mas em 1987 Rudolf Nureyev quebrou as tradições e dançou sua versão para a Opera de Paris, feita em um estúdio de Hollywood, com a heroína, a filha adotiva e a madrasta.


Comentários

  1. Boa noite Dryelle, estou interessada em estudar a fundo o Ballet Cinderela, você conseguiria me citar alguma fonte, livro e etc. que tenha usado no seu texto, ou não, para que eu possa estudar?
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada por fazer parte do MundoBailarinístico!
Seja bem-vindo sempre!
Curta nossa FanPage: www.facebook.com/MundoBailarinistico
Siga nosso instagram: @mundobailarinistico