Projeto I entre I ladeiras - Ladeira da Memória/ SP

SINOPSE

]ENTRE[ABERTO*

PERFORMANCE DE DANÇA SITE-SPECIFIC / IN SITU

DURAÇÃO: 40 minutos

CLASSIFICAÇÃO: livre


Criada para espaços não convencionais, ]entre[aberto articula as linguagens da dança e da arquitetura, em uma performance de dança site specific. Um grupo de performers investe no espaço arquitetônico e simbólico, onde, através da percepção sensível e da interação do corpo em movimento com estes  lugares, constroi uma trama de faixas adesivas transparentes. As faixas se desgarram das paredes e avançam em diferentes pontos, à procura por um arranjo de ritmos e direções que animem e atualizem potenciais latentes do espaço.

O corpo como medida viva e pulsante da arquitetura, como molde dos espaços vazios, dos espaços ‘entre’ estruturas ou, ainda, como potencializador para oferecer outras perspectivas além das habituais, são alguns dos elementos motores desta performance.

Por meio da dança e da relação dialética com o lugar, estruturas efêmeras são construídas com as faixas adesivas. Um objeto cinético é, assim, criado, convidando o público a uma sensação corporal desta espacialidade.




Teaser da performance |entre| ladeiras, do Núcleo Aqui Mesmo from Opaco on Vimeo.


*Projeto contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de

São Paulo/ ProAC - 2012.

RELEASE

Núcleo Aqui Mesmo
Criado e idealizado em 2012 pela dançarina e arquiteta Carmen Morais, tem como co-fundadoras Lígia Rizzo e Thaís Ushirobira - artistas da dança. O núcleo apresenta como eixo principal a pesquisa sobre ‘arte e espaço urbano’ e mais precisamente a questão da espacialidade em dança dentro de propostas site-specific/ in situ. Foi concebido com o intuito de viabilizar projetos em dança in situ estabelecendo parcerias com artistas da dança e artistas de outras linguagens como por exemplo da arquitetura, da fotografia e do vídeo.

Formado principalmente por artistas profissionais independentes  que apresentam em suas trajetórias um profundo interesse em pesquisar e criar ‘para’ e ‘com’ o espaço urbano. O núcleo apresenta assim, uma geometria variável, agrupando  de duas a uma dezena de artistas segundo a especificidade de cada projeto. Nosso intuito é fomentar e multiplicar o “fazer artístico” em um processo colaborativo no espaço público.

As atividades do núcleo buscam se ancorar no espaço público, vislumbrado este espaço como lugar e objeto de experiências artísticas. Por vezes, propomos mesmo ‘mesclar’ as fronteiras entre as disciplinas. É  o caso, por exemplo, de ]entre[aberto, em que  articulamos as linguagens da dança e da arquitetura em uma performance site specific que, ao longo do seu desenvolvimento, constroi um objeto audiovisual (este projeto foi contemplado  pelo

Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura/ProAC 2012). Um outro exemplo é o projeto De segunda à sexta–feira, elaborado para a Fundação Nacional das Artes (FUNARTE 2012) onde temos o contexto das nossas feiras de rua de São Paulo como nosso sítio de investigação. Para este projeto além das linguagens da dança e da arquitetura articulamos esta pesquisa com a linguagem do vídeo. Performance e vídeo dança são aqui especialmente criadas para este contexto das feiras de rua paulistana.

Também contemplada por prêmio da FUNARTE (2013), Carmen Morais, com colaboração do Núcleo Aqui Mesmo, realizou o projeto Situ (ações) - proposições de dança in situ, que compreendeu a produção de dois livros:  sobre dança in situ “A dança in situ no espaço urbano” (Carmen Morais)  e “Situ (ações) – caderno de reflexões sobre a dança in situ“ (Carmen Morais e Ana Terra org.),  além de uma residência artística abrigando cinco artistas da dança nesse mesmo projeto.

|entre|ladeiras é a mais recente criação do Núcleo, projeto contemplado pelo ProAC 2014.

Ocupando a Ladeira, interage tanto com sua estrutura arquitetônica e simbólica quanto com o fluxo de movimento de seus habitantes/ usuários. O que uma cidade permite aos seus habitantes e moradores como hipótese de ação e imaginação? – é a pergunta que permeia as nossas pesquisas.

Nosso processo de criação se inscreve na realidade e no cotidiano do contexto urbano. Pretendemos realizar produções que se concebam, que se inscrevam e que se articulem com o espaço urbano. O entorno arquitetônico urbanístico, assim como as relações que aí se dão, são elementos considerados como fonte de informação e de sensações que podem ser captadas, registradas e acumuladas como matéria de criação. Nesta perspectiva, cada lugar é objeto de uma pesquisa minuciosa de suas características espaciais, plásticas, rítmicas, luminosas e sonoras. A história e o contexto do lugar, bem como as práticas e as maneiras dos usuários se servirem destes locais são também elementos intrínsecos à esta pesquisa.

Espaços marginalizados e abandonados, hospitais, prédios desativados, ruínas, demolições e  portos são alguns dos lugares que têm nos interessado como sítios de investigação e pesquisa. Trata-se de imaginar novos territórios para dança, selecionar e triar lugares para uma proposição artística e sobretudo tornar visível o movimento destes lugares.

 www.nucleoaquimesmo.com

Apresentações Gratuitas
Dias 4, 5, 6 e 9 às 12H00 
Dias 7 e 8 às 12H00 e às 15H00
Local: Ladeira da Memória (ao lado do metrô Anhangabaú)
Duração: 50 minutos
Censura Livre

Comentários

FALE COM O MUNDO BAILARINÍSTICO

Nome

E-mail *

Mensagem *