8 dicas para aumentar sua auto estima - Por Maria Cristina Lopes

Sentir-se melhor e ativar seu comportamento!



1 – Pare de se comparar!
Um tipo de pensamento disfuncional é o da comparação. Estamos constantemente nos comparando com outros. Em geral essa comparação é limitada em alguns grupos, por exemplo: nossos iguais (família, amigos, colegas de trabalho, etc.) ou de pessoas que se sobressaem (bailarinos famosos, primeiras bailarinas, solistas de destaque, etc). Esquecemos-nos de fazer uma comparação mais ampla, realista e justa para nós. Uma dica: compare-se com si mesmo. Faça pequenas metas e após atingi-la parabenize-se pela superação.
2 – Não avalie seu valor pelas suas conquistas!
Confundimos valor e realização. Nossos pensamentos, personalidade, atribuições pessoais vão muito além de nossas conquistas. Além do que existem muitas qualidades que não cabem no mérito da conquista. São valores intrínsecos e pessoais. Apenas por que uma pessoa não realizou algo, isso não significa que ela não é capaz. Na verdade, isso significa apenas que ela ainda não realizou. E apenas isso. Recado: você vai muito além de suas conquistas.
3 – Não se rotule!
Muitas pessoas utilizam este tipo de pensamento disfuncional. Por quê? Por que nosso cérebro está programado para pensar de forma simples. E assim como foi muito difícil aprender conceitos complexos e abstratos no ensino médio também é difícil modificar este tipo de pensamento. Mas é necessário que façamos isso se queremos nos sentir melhor. “Sou muito fraca” “sou um imbecil” “sou uma perdedora”, são alguns tipos de rotulações. Ocorre que nos observamos apenas através desse rótulo e nossa autoestima vai lá para baixo.  É muito mais adequado e relista dizer “é, ainda preciso melhorar um pouco nessa área”, “fiz besteira aqui”, “não sou tão bom nessa tarefa”.
4 – Não persiga a perfeição!
É preciso tirar esse peso dos nossos ombros. Queremos e necessitamos algo que nunca poderemos ser: perfeitos. Essa ideia é uma ilusão produzida por nós em um labirinto sem saída. Algumas coisas nós não podemos mudar. É a vida. Seria agradável se fossemos perfeitos. Mas a realidade é que não podemos ser. E isso é aceitável. Lembre-se que mesmo primeiras bailarinas são falhas. Por que, afinal de contas, você também não seria?
5 – Estabeleça metas realistas que melhorem sua qualidade de vida!
Metas irrealistas tem o grande poder de nos colocar para baixo. Pois são inalcançáveis e muitas vezes não são saudáveis. Metas realistas de acordo com a sua rotina e capacidade são um ótimo tempero para alegrar o dia e para que possamos posteriormente comemorar conquistas. Mas metas inatingíveis nos derrubam e nos fazem desistir de tudo. O que você escolhe?
6 – Se aprove!
Procuramos a aprovação de terceiros: da família, amigos, professor e esquecemos o mais básico: aprovar-nos. Veja tudo o que você tem de positivo! Valores, características, etc. Por mais que tenhamos coisas negativas é certo dizer que possuímos também qualidades. Precisamos reconhecê-las e aprová-las. Muitas vezes minimizamos o que temos de positivo. Como se não existissem. Mas existem sim! Está lá.
7 – Reconheça suas forças e qualidades!
Quando vemos o mundo pelos óculos da negatividade paramos de enxergar o positivo. Às vezes isso ocorre por uma causa nobre: queremos tanto ser bons que ficamos atentos a tudo de ruim para podermos nos livrar daquilo imediatamente. Mas a realidade é que acabamos nos sentindo muito mal e acabamos encontrando algo errado mesmo nas coisas positivas. Quando só vemos coisas negativas precisamos nos esforçar para ver também as positivas. Faça uma lista sobre suas características e preencha os dois lados: o negativo e o positivo.
8 – Aceite-se!
Perceba que todos têm desejos de melhorar e que todos têm pontos positivos e negativos. E que as coisas são como são. Aceite-se para depois tentar superar-se. E não o contrário. Muitas vezes achamos que após a superação virá a aceitação pessoal. E posso dizer que isso não acontece com tanta frequência. Aceite-se.
Aceitar-se não se trata do que: quero ser, nem...
Como gostaria que fosse
Eu gostaria que fosse
Imaginei que poderia ter sido
Trata-se das coisas como são
Aceitar-se é sobre o que se é
Refletir sobre a minha vida e levar adiante