O Ballet e a Bricadeira - Por Simone Duarte

Aulas de ballet infantil podem ter brincadeiras? Por quê?

A resposta para esta pergunta precisa ser muito clara e a professora precisa ter muita segurança ao responder! Ou será (e deve ser!) questionada com relação à seriedade de seu trabalho e sua capacidade profissional.



Em minhas aulas as crianças brincam, sim! Mas todas as brincadeiras possuem um objetivo pedagógico, lúdico ou técnico muito bem definido, além de excelentes resultados.

A brincadeira deve possuir um objetivo (e um resultado) específico e isso precisa ficar claro para os pais. Eles precisam entender que estes exercícios lúdicos realizados em aula têm objetivos técnico/pedagógicos e a importância destas atividades no desenvolvimento da criança.

A busca na execução correta dos movimentos é necessária, no entanto, crianças ficarem apenas fazendo repetição de movimentos geralmente tem um resultado desastroso! Ao invés de obter uma sala com muitos alunos executando movimentos perfeitos, na maioria dos casos o resultado são salas vazias e escolas (algumas com muita tradição no Brasil) cada vez com menos alunos.

As crianças da atualidade recebem estímulos (de ordens diversas) que não existiam antigamente, esta mudança traz também a necessidade de uma aula de ballet elaborada e muito bem planejada, onde a repetição de movimentos venha acompanhada de um contexto que prenda a atenção da criança.

Para alcançar o sucesso no trabalho de ballet com crianças é preciso que os objetivos técnicos sejam desenvolvidos através de atividades pedagógicas, lúdicas e encantadoras. Desta forma teremos turmas cheias (pois assim os alunos permanecerão no ballet por muitos anos), além de aliar o desenvolvimento técnico com encantamento pelo ballet.