Devo levar minhas crianças para Festivais? Por Jacqueline Souza

Ah, os festivais. Uma relação de amor e ódio com eles. A oportunidade de participar de diversos eventos, conhecer novos palcos, e às vezes, de quebra, ganhar uma medalhinha. Mas quando se tratam de crianças, nem sempre o assunto é assim tão simples. Por isso, pode surgir a pergunta: "Devo Levar Minhas Crianças Para Festivais?"

A resposta não é "sim", mas também não é "não". Eu diria que a resposta pende mais para um "depende". Antes de decidir levar crianças à um festival, você deve analisar com cuidado alguns aspectos.

Por exemplo, primeiro de tudo, analise o seguinte: Qual é a idade das crianças? Crianças muito novas geralmente não tem o compromisso que as maiores tem, e podem simplesmente não estar a fim de dançar no dia, o que resulta em uma criança  parada no palco, acabando com todos os desenhos que você um dia montou (rsrs). Assim, pelo menos na minha concepção, o ideal é deixar o baby class ser apenas bailarinas brincalhonas, nada de inseri-las em eventos sérios até que elas ganhem mais responsabilidade. Quando falo isso, estou citando as babys entre 3 e 5 anos mais ou menos.

Depois de analisada a idade, vamos ao próximo tópico: Quanto tempo estamos ensaiando? Para um adulto às vezes pode ser complicado pegar uma coreografia em pouco tempo, mas a técnica e o esforço podem permitir uma coreografia limpa independente do tempo de estudo. Já com as crianças o negócio é mais complicado. Muitas vezes elas vagueiam a mente no meio do ensaio, ou simplesmente se apoiam naquela amiga que fica na frente para copiar. Porém, em um festival não existe essa de "copiar". Por isso é importante que a coreografia esteja no corpo de cada criança antes de levar a um evento. Todas precisam saber o que estão fazendo, entender a música, e não ficar usando uma amiga como cola. Isso só será possível com um bom tempo de ensaio e limpeza.

Isso nos leva a mais um ponto: A coreografia está limpa? Nem sempre poderemos exigir limpeza absoluta de crianças, principalmente dependendo da idade. Mas quanto mais a coreografia estiver bem estruturada e pouco repetitiva, mais chances de uma boa nota.

Depois podemos nos perguntar: Qual o nível técnico das minhas crianças? É claro que crianças dificilmente terão a mesma técnica de um adulto, mas para um festival, pelo menos o esticar de pés, en dehors, braços e costas devem ser bem estruturados.

Mas talvez você pense: E se na verdade eu quero levar um solo, não um conjunto? Aí a coisa fica ainda mais delicada. Antes de decidir se a criança será capaz de participar do festival, pergunte-se: Essa criança sabe o que ela vai precisar fazer? Ela já se apresentou anteriormente? Como ela se saiu? Consegue trabalhar bem sob pressão? Se ficar em dúvida em algumas dessas perguntas, o ideal seria primeiro inserir a criança em participações de conjuntos, e só quando houver mais confiança, colocá-la como solista.

No mais, você é o único responsável por saber se suas crianças estão prontas ou não para participar de um festival. A meu ver, o ideal é não plantar competitividade nas pequenas, explique que vão participar de um evento, e que o importante é dançar, não ganhar ou perder, que as colocações são apenas um detalhe; Não leve em conta o pedido de mães insistentes que queiram levar suas pequenas aos festivais se você achar que essas crianças ainda não estão prontas. Seu nome e seu trabalho também estão em jogo, pense bem nisso.

E no fim das contas, queira que suas crianças se divirtam, nada de ficar corrigindo tudo de última hora, ou de plantar nervosismo. O que você podia fazer, fez em sala de aula. Agora é hora de deixar suas pequenas(os) bailarinas(os) aproveitarem esse momento.