Lateralidade e noção de espaço no Ballet


Quem nunca virou de costas para o espelho, ou chegou no Teatro para dançar e não se sentiu perdido?! Onde estou, para onde vou, de onde entro?

Mas porque isso acontece?

Tem a ver com lateralidade e orientação espacial. A gente toma o local do ensaio como referências para nossa movimentação, quando deveríamos ter isso em nosso corpo. 

Significado de lateralidade:
É a capacidade de controlar os dois lados do corpo juntos ou separadamente. É importante que exista a percepção da diferença entre direita e esquerda, é necessário também que se tenha noção de distância entre elementos posicionados tanto do lado direito como do lado esquerdo.
Esta capacidade é de grande importância para formação de conceitos complexos como de espaço.

Noção de espaço

Orientação espacial é a capacidade que o indivíduo tem de situar-se e orientar-se, em relação aos objetos, às pessoas e o seu próprio corpo em um determinado espaço. É saber localizar o que está à direita ou à esquerda; à frente ou atrás; acima ou abaixo de si, ou ainda, um objeto em relação a outro. É ter noção de longe, perto, alto, baixo, longo, curto (ASSUNÇÃO; COELHO, 1996, p.91-96). 
A orientação espacial é a consciência do corpo com o meio. 

As noções de espaço são desenvolvidas pela a partir da experimentação, mas precisamos ter como referência o próprio corpo. Como a compreensão dessas noções depende da maturação neurológica, e cada um tem seu ritmo, o ideal é ensaiar com várias frentes, sempre, ou usar frentes diferentes durante as aulas para estimular e para que possamos experimentar situações diferenciadas que favoreçam essa compreensão.

Diante dessas explicações, o que acontece quando viramos de costas:

Quando falamos de bailarinos que não tiveram um trabalho efetivo na sua lateralidade e noção espacial desde pequenos, quando mudamos o lado da frente este transtorno ficará mais visível:
- Dificuldade de encontrar direção (confusão de esquerda e direita, dentro e fora, em cima e em baixo).

Para isso melhor, temos que praticar, temos que saber no nosso corpo, para que lugar a gente vai, com que perna é. Imagine-se fazendo a coreografia em outros lugares (como no palco por exemplo) e esqueça referências das características da sala, como "sou do lado do espelho", "do lado da porta"; "meio do linóleo"....

É por isso que muitos professores começam a ensaiar de costas para  espelho depois de um tempo com a coreografia pronta; para você ir se acostumando em mudar de espaço e começar a adquirir essa noção em você mesmo, sem depender do espelho.

Não se sinta sozinho (a)! A maioria se perde!

Beijos, bons ensaios.

Referências: significados; portaleducação; bensaude.