Tudo que você queria saber sobre tutus

Uma bailarina por si só já é apaixonante, mas precisamos admitir que uma bailarina com tutu fica ainda mais encantadora! Quem faz ballet (e até mesmo quem não faz) e nunca sonhou em vestir um lindo tutu? Essa peça fundamental para o vestuário é representação de bailarinas no mundo todo.



História
Em 1832 Marie Taglioni imortalizou esse tipo de roupa: tratava-se de um corpete apertado e uma saia de várias camadas, que se alonga quase até o tornozelo, também chamado Tutu Romântico, e quando é curto chama-se Tutu Italiano.

A primeira apresentação da peça "As Sílfides" esta vestimenta passou a ser a norma de excelência dos bailarinos.


Mais tarde, o Tutu Romântico, branco e longo, marcado por bailarinos em "Giselle", "La Bayaderes", passou a ser utilizado como padrão.
O Tutu Romântico, ou Italiano, é uma sobreposição de saias curtas e rígidas, em forma de pétalas ao redor do quadril do bailarino e deixando expostas as pernas, geralmente é um conjunto de saiotes brancos, embora haja uma variedade colorida e brilhante. Esse nome foi dado a partir de 1881.

Como pronunciar
Tutu é mais uma palavra francesa que faz parte do vocabulário dos bailarinos (pronuncia-se "titi" ou "too-too"



Porque esse nome
A palavra "tutu" tem suas origens na plateia do teatro. Aqueles que compravam bilhetes mais baratos sentavam-se em uma seção localizada na parte inferior do teatro. Esta área deu os fregueses sentados ali uma visão diferente do que o resto do público, eles poderiam ver muitas vezes sob as saias das bailarinas. Isso levou a muita conversa e, eventualmente, a gíria francesa para esta parte da bailarina se tornou "tutu".

Composição

> Corpete: O corpete é uma peça separada do traje anexado na cintura alta ou no quadril, às vezes isso é colocado apenas com abas elásticas para permitir o movimento.

> A saia: saias tutu determinar a forma do tutu e geralmente definem o estilo: romântico, clássico ou sino. As saias são normalmente feitas de tule, organza ou voile.

Afinal, por que usamos tutu pra dançar ballet?

A saia curta, estruturada e leve conhecida como tutu é sinônimo do ballet e foi associada a essa forma única de dança por mais de um século. De recitais de ballet de crianças até companhias de dança internacionalmente reconhecidas, as bailarinas usam tutus como uma maneira esteticamente agradável de ressaltar sua graça, beleza e feminilidade.

Antes do tutu

No início do ballet, a dança era um passatempo social em que os dançarinos usavam suas próprias roupas. Após o francês Luis XIV estabelecer a Academie Nationale de Musique et de Danse, em 1661, as técnicas de ballet cresceram em complexidade, exigindo roupas especializadas. Para não revelar muito durante os movimentos que fazem a saia rodar, camadas de precaução eram usadas. No final do século XVII, a popularidade continuada do ballet como forma de dança levou a mudanças nas roupas usadas. Saias mais curtas e a invenção de trajes justos de malha permitiram que os dançarinos tivessem mais liberdade de movimentos.

Introduzindo o tutu

É atribuído à bailarina francesa Marie Taglioni o design do tutu, usado pela primeira vez no palco na Opera nacional de Paris em uma performance de 1832 de "La Sylphide". Taglioni desenhou o tutu como maneira de mostrar o trabalho elaborado dos pés na dança, que eram escondidos por uma saia longa. De acordo com a lenda apócrifa, o tutu recebeu seu nome de plebeus que olhavam o ballet sentados do nível mais baixo do teatro e costumavam usar a palavra "tutu" como uma derivação de uma gíria para o bumbum da mulher.

A função do tutu

Com o tempo, o tutu foi encurtado como maneira de revelar as pernas e os pés da dançarina para o público. Nos anos 1880, a bailarina italiana Virginia Zucci foi a primeira a usar um tutu mais curto e macio que acabava perto dos joelhos. Depois, como agora, o propósito do tutu se tornou estético, para apresentar a ilusão de que a dançarina estava flutuando em uma nuvem, permitindo que a platéia veja completamente os movimentos de pernas e pés da dançarina.

Há vários tipos de tutu:

Tutu clássico (prato, bandeja ou panqueca)
Uma saia curta e rígida, feita com camadas de pano que se estende para fora do quadril, montada em um corpete. O estilo panqueca tem muitas camadas de tule e usa um arco de arame para manter as camadas planas e duras.

Tutu Clássico (sino)
Uma saia curta e rígida, feita com camadas de pano com uma ligeira forma de sino montada num corpete. Ele se estende para o exterior a partir dos quadris e não usa o arame. Geralmente, é mais usado do que o tutu clássico panqueca.

Tutu Romântico
Um tutu formato sino de ¾ de comprimento em forma de saia de tule  montado num corpete e, por vezes, usam mangas, disse ter sido inventado, ou pelo menos popularizado, por Marie Taglioni. O tutu romântico salienta a leveza e a qualidade etérea dos ballets românticos, como Giselle ou Les Sylphides. A saia cai entre o joelho e o tornozelo.



Tutu Balanchine
Essa forma de tutu é similar aos estilos sino e tutu panqueca, exceto que não são utilizados aros e há menos camadas de pano. A saia é levemente pregada para dar uma aparência mais suave, mais cheia. Este estilo foi concebido originalmente para a versão do balé da Sinfônica de Georges Bizet.

Tutu de ensaio
Normalmente é só a saia do tutu, sem bordados ou acabamento, a maioria das vezes branca ou preta, só no tule, usados para ensaiar com o vestido sem precisar usar o figurino nesses ensaios e não correr o risco de acontecer algum imprevisto com sua roupa. Muito utilizados em exames e em ensaios para pas de deux, onde se tornam indispensáveis. Se você vai dançar de tutu, é interessante que acostume-se com ele antes.


Transportando seu tutu
Cuidado ao transportar seu tutu, principalmente se ele tiver aro. É interessante que tenha um porta-tutu, que nada mais é do que uma bolsa especial que irá proteger seu vestido. Nunca dobre-o! O ideal é que ande sempre com ele aberto.



Lavando seu tutu
Em algumas lavanderias você consegue lavar seu vestido sem estraga-lo. Muito cuidado, escolha uma lavanderia de confiança, verifique a possibilidade de lavarem sem estragar a fantasia, principalmente quando falamos de tutus bordados. A lavandaria vai te entregar com um saco plástico, bom para você guardar o tutu enquanto não usa.
Bom, é isso. Espero que tenham gostado.
Cuidem bem de seus tutus!




Comentários