Passos de Ballet - Dê importância ao Plié


Um dos passos mais famosos do ballet!!!
Porque?!
Por que usamos plié para (quase) tudo, não é mesmo?
Ele é um passo fundamental e básico do ballet, pois usamos ele em muitos exercícios.

O plié é mais um passo da série "Parece fácil, mas é difícil", pois é, nada é fácil por aqui!

Cuide do seu plié, ele vai te ajudar a melhorar muitas coisas!
Dê a devida atenção à ele, diferencie fazer plié de apenas dobrar os joelhos ;)

Começando pelos significados



Explicando melhor a diferença entre eles

Um demi plié é metade de um Grand Plié.

No demi, os joelhos são flexionados até até um pouco abaixo dos quadris, mantendo o en dehors nas articulações, permitindo que as coxas e joelhos estejam diretamente acima da mesma linha que os dedos. A intenção é manter os calcanhares no chão o maior tempo possível. 

Já o grand, como o nome já diz ele é maior e grande! Uma flexão de joelhos mais profunda. Neste caso, o calcanhar pode sair, levemente, do chão. Mas não pode subir à sua meia ponta máxima.




Os objetivos dos pliés

O demi plié tem a finalidade de aquecer as articulações dos tornozelos, os joelhos e o quadril, aumentar a flexibilidade e a força da parte interior das pernas. Com ele iremos trabalhar postura, alinhamento, en dehors e distribuição de peso, além de servir como um impulsionamento para o passo que vamos fazer e amortecer os retornos.

Já os grand pliés, tem como objetivo a extensão do tendão e da musculatura interior das pernas, mas também aplicar os princípios de alinhamento, postura, rotação e distribuição, assim como no demi.

Eles irão ser fundamentais nos nos relevés em pontas e e em meia ponta, inclusive nos giros e nos saltos e baterias. 



Cuidados na prática

Continuidade
Os pliés devem ser realizados de forma contínua. O tempo para flexionar as pernas e esticá-las deve ser o mesmo. 

Calcanhares
Os calcanhares ficam no chão o máximo de tempo possível no demi. Se for fazer o grand, ele só deve ser iniciado quando não houver mais espaço para flexionar as pernas sem tirar o calcanhar do chão. É o famoso “demi plié > grand plié > demi plié > estica, ou seja, o demi será o caminho de ida e volta no grand e são os calcanhares que irão definir isso

Postura e alinhamento
O tronco não mexe. Deve ser mantido. O abdómen deve estar acionado. 

Joelhos
Projete o joelhos para fora, com ajuda da rotação completa (en dehors) pense em tê-los na mesma direção da parte externa nos pés.

Arco do pé
Principalmente em demi, lembre-se de deixar o arco do pé levantado, para manter os joelhos na direção correta.

Distribuição do peso
O peso do corpo deve estar centralizado entre os 2 pés. Pensar nisso ainda com mais cuidado em posições como a segunda e quarta, em que os pés estão afastados um do outro.

Contra o chão
Ouvimos muito “afunde o plié”, mas isso significa para tentar ampliar o movimento para ganhar elasticidade, mas pense sempre em fazer o movimento “contra o chão”, na intenção de estar para cima.

Quadril
Não bascular o quadril, nem para frente, nem para trás, empinando o bumbum. São dois erros muito comuns.

Respiração
Inspire o ar quando estiver com as pernas esticadas e solte quando flexionar.

Cabeça e Braços
No caso exercício de pliés praticados ao lado da barra, normalmente a cabeça acompanha o movimento dos braços.

Dinâmica
Os exercícios de pliés em barra geralmente são feitos como adágios, de forma lenta e contínua. Mas antes de um salto, por exemplo, eles deverão ser feitos mais rapidamente, sem perder a estrutura e o objetivo.






Mais uma observação:
Quando fazemos plié em apenas uma das pernas em alguns exercícios, em algumas escolas chamamos de fondue.

Quanta coisa envolvida em um “simples plié” né?
Não pensem nele como um “dobrar de pernas” em vão.
Eles irão ser essenciais em sua vida bailarinística.


Gostou? Compartilhe

Postado por Dryelle Almeida
@dryellealmeida