Pé de bailarina - Calos

Calos nos pés não são particularidades de bailarinos, porém, com o uso da sapatilha, muitas vezes apertada, ou até mesmo porque usamos muito e estamos com os pés sempre "presos" dentro das sapatilhas. Algumas pessoas têm uma tendência natural para desenvolver calosidades devido ao seu tipo de pele. Vamos entender melhor os calos nesta postagem ;)


O que são calos?

Os calos e as calosidades são causados por atrito ou pressão sobre a pele, em regra devido ao calçado inadequado ou a actividade profissional ou desportiva que implica fricção e pressão constantes. Porém, estas alterações podem ser indicativo de problemas mais complexos provocados por deformações na estrutura óssea ou alterações da própria marcha.

Os calos e as calosidades encontram-se na maior parte das vezes na planta dos pés, ou no topo dos dedos. Também se podem desenvolver na zona do calcanhar e entre os bordos das unhas.

Localização dos calos

Por vezes, as pressões exercidas nos pés tornam-se desajustadas e a fricção extra transfere-se para uma determinada área do pé. Quando isto ocorre, o corpo reage a esta pressão produzindo um espessamento da camada superficial da pele. Este endurecimento da pele é conhecido por calosidade e é uma resposta protectiva do nosso organismo, com o intuito de proteger os tecidos das camadas inferiores da pele. As calosidades variam de tamanho e forma. Geralmente, não são dolorosas, mas algumas tornam-se tão espessas que a pele se torna rígida e gretada, o que pode causar desconforto.

Se a pressão se manifesta sobre um osso sujeito a fricção constante, um calo “duro” pode-se desenvolver. Os calos têm um núcleo duro e ceroso que se forma na epiderme, a camada exterior da pele, e que depois de penetrar no tecido subjacente, comprime os nervos da derme. Os calos provocam dor intensa quando sujeitos a pressão.
Os calos “moles” normalmente desenvolvem-se entre os dedos (predominância entre o quarto e o quinto dedo) onde a pele se encontra humedecida pela transpiração ou pela secagem inadequada. Têm uma cor branca e endurecida, semelhante a borracha e são também causados por fricção excessiva.

Como tratar de calos e das calosidades
O melhor tratamento para calos e calosidades é eliminar a fonte de pressão que lhes dá origem. O seu Podologista irá examinar o seu pé de forma a encontrar a causa do excesso de pressão. As alterações estruturais dos dedos, como por exemplo, dedos em garra ou as alterações da forma de caminhar, podem estar na origem do aparecimento dos calos e das calosidades. Torna-se assim importante, a avaliação morfológica e articular do pé realizada na consulta de Podologia.

As preparações comerciais, tais como tinturas e adesivos para calos só tratam os sintomas – não o problema. De igual forma, a aplicação destes produtos na pele saudável que rodeia a calosidade, pode ser potencialmente perigoso. As preparações comerciais só devem ser usadas mediante aconselhamento profissional.

Tome nota:
È importante que nunca realize auto-tratamento de calos ou calosidades. O ambiente quente e húmido, confinado do calçado, é propício ao desenvolvimento da infecção. Pequenos cortes realizados durante o auto-tratamento, podem facilmente tornar-se em ferimentos perigosos.

Consulte o Podólogo
Ele não só irá recomendar formas de alívio da dor e proceder à eliminação dos calos e das calosidades, como também o ajudará a isolar a causa e prevenir a recorrência do problema.

A prevenção de calos e calosidades e o cuidado com os pés
A melhor maneira de prevenir o desenvolvimento de calos e calosidades, é dar atenção aos seus pés, sempre que sentir uma pressão extra em determinada área do pé. A adequação do calçado é essencial, especialmente se passar longos períodos de pé ou a caminhar. Opte por mudar o calçado que utiliza no local de trabalho, para um calçado mais confortável se prevê que vai caminhar muito.
A hidratação diária da pele é importante, mas não se esqueça, que estes problemas são causados por excesso de pressão.