Como ter uma boa relação com a comida - Por Danielle Fava

Hoje vamos falar um pouco sobre como podemos manter um relacionamento sem neuras com a comida, mesmo precisando emagrecer ou manter o peso.


Quando falamos em emagrecer, qual a primeira palavra que você à cabeça de vocês? Aposto que é dieta! Pois é, vivemos em uma época de terrorismo nutricional, onde a cada momento surge uma dieta nova milagrosa ou um alimento emagrecedor ou o vilão da alimentação. Com tudo isso, ficamos confusos e até com medo de comer, porque já não sabemos mais o que faz bem e o que faz mal, o que é verdade ou mito e comer virou um momento de terror, medo e culpa, principalmente para quem precisa emagrecer.

Então, para nos livrarmos desse “terrorismo” todo, precisamos ser o mais esclarecido possível sobre a alimentação. E nós, bailarinos, tal como atletas, precisamos saber bem como nos alimentar e ter um acompanhamento profissional, para evitar o desenvolvimento de transtornos alimentares como anorexia, bulimia e comer compulsivo.

Para emagrecer e manter o peso é preciso comprometimento. E estar comprometido não tem nada a ver com aquelas coisas de força, foco e fé ou no pain no gain, associadas ao emagrecimento e corpos sarados. Tem a ver com a identificação da necessidade da mudança em si mesmo e não deixar que você mesmo seja um sabotador do seu comportamento alimentar, nem os outros. Exige coragem e posicionamento firme diante dos obstáculos para que tudo permaneça em harmonia.

Assim, precisamos entender 3 coisas para ter um bom relacionamento com a comida:

1) Nós temos permissão incondicional para comer, ou seja, nós podemos comer e escolher o que vamos comer, de forma que você se sinta seguro, sem culpa e bem fisicamente. Por exemplo, se você estiver com vontade de comer brigadeiro, não vai adiantar comer uma maçã. Mas dentro de uma alimentação adequada e de um contexto adequado, você pode incluir aquele brigadeiro na sua alimentação.

2) Nós comemos para atender as nossas necessidades fisiológicas e não emocionais. Então, se você está triste porque não passou em uma audição ou porque teve uma briga com o namorado ou namorada, não é uma boa ideia se acabar no chocolate. O que você precisa nesse momento é um carinho, um colo, um amigo. Pergunte-se o que você precisa, que não seja a comida, para se sentir melhor e vá atrás disso!

3) Nós precisamos entender e atender aos nossos sinais de fome e saciedade: com isso conseguimos determinar o que comer, o quanto comer e quando comer.

Quando entendemos e praticamos esses três pontos, os intervalos entre as refeições passam a ser regulares (refeições principais e lanches) e satisfaz a sua fome. As beliscadas, restrições e compulsões dão lugar ao prazer em comer, a energia, a saúde e os pensamentos sobre comida não tomam o seu dia. O humor fica mais estável e não se afeta pela comida e o relacionamento em contextos que envolvam comida, família, amigos e outros passa a ser saudável. Com isso, você emagrece e mantém o peso por um longo prazo.

Agora, se você faz dieta, assim que ela acaba você esquece tudo e volta tudo para a estaca zero. Por isso que dietas não funcionam: elas não consideram esses 3 aspectos que contei para vocês.

Que tal começar a perceber isso ainda hoje?


Comentários

FALE COM O MUNDO BAILARINÍSTICO

Nome

E-mail *

Mensagem *